Cursos para quem quer empreender em alimentação


Em junho do ano passado, Camilla Saldanha começou a vender brigadeiros para complementar sua renda. Alguns meses depois, porém, com a alta na demanda, viu a necessidade de se profissionalizar e fez o primeiro curso na área, com a chef pâtissier Carolina Sales. Buscou também ampliar por meio de aulas os produtos oferecidos, incluindo naked cake (bolo sem cobertura) e brownie.

Decisão acertada, pois há cerca de dois meses, mesmo com a crise econômica, conseguiu largar o vínculo empregatício para se dedicar exclusivamente à cozinha. Seja para quem ainda vai começar ou para aqueles que querem expandir um negócio gastronômico, cursos em diferentes níveis são aliados nessa empreitada.

— Uma coisa é fazer para casa, outra é fazer para vender. Então, quando a demanda cresceu, vi essa necessidade (de profissionalização) — conta a microempreendedora individual, que vende por encomendas e faz entregas.

O EXTRA traz uma lista de cursos que ensinam a fazer desde brigadeiro gourmet até pratos de outras culturas.

— Mesmo com domínio na cozinha, é importante estar por dentro das novidades do segmento e ver (nos cursos) possíveis diferenciais para o negócio — avalia a analista do Sebrae Louise Nogueira: — Além disso, é fundamental conhecer um pouco de gestão. Pois um grande problema que vemos no segmento é que pessoas começam a empreender pois amam cozinhar e fazem isso bem, mas não entendem de negócios e têm prejuízos.

O Sebrae tem diversos cursos de gestão gratuitos. Para saber mais, basta ligar para o telefone 0800 570 0800.

Setor tem recuperação rápida
A boa notícia para quem escolher o ramo é que se a crise foi profunda — e foi —, ela também deve ser curta, segundo especialistas. Como alimentação é necessidade básica, a probabilidade de uma recuperação rápida é grande, afirma Louise Nogueira.

— A área de alimentação foi uma das últimas a serem atingidas pela crise, que se intensificou muito mais no segundo semestre de 2016. Houve aí uma queda de pelo menos 20% no faturamento direto dos restaurantes, e muitos fecharam. Mas talvez seja um dos primeiros a se recuperar. Nossa expectativa é que a partir do segundo semestre já seja possível ver o segmento estabilizar para, a partir do ano que vem, começar um crescimento — diz.
Ainda é preciso cautela. Por isso, quem tem uma renda menor deve começar como microempreendedor individual (MEI, figura jurídica que permite faturar até R$ 60 mil por mês). E um bom planejamento, pesquisando o público-alvo, é indispensável. ‘Formalizada, a pessoa fica mais amparada’, afirma consultora

Elena Martinis, consultora em empreendedorismo, destaca:

— É possível começar como microempreendedora individual. Formalizada, a pessoa fica mais amparada. Tem a questão dos direitos que a pessoa adquire, como a aposentadoria, e vai além.

Se a pessoa quer vender, pode emitir nota fiscal, fazer negócios com empresas de festas. O próprio processo de se tornar MEI é um aprendizado para se organizar. Eu falo ainda nas palestras que dou: o empreendedor tem que buscar um diferencial para seu produto. E isso não é coisa de outro mundo: é uma embalagem legal, um bom atendimento.

Onde estudar
Ateliê de Confeitaria Emanuel Pinheiro – Ainda este mês, haverá uma aula sobre a técnica drip cake (R$ 250) e um intensivo de macarons (R$ 280). Inscrições nos telefones 2513-4306, 97633-9300 e 97944-4847.

Chef Carolina Sales – No mês de maio, haverá dois cursos: Brownie Gourmet (R$ 180) e Brigadeiro Especial (R$ 150). Escreva para cursos@carolinasales.com.br se quiser obter mais informações.

Estácio – O curso superior de Tecnologia em Gastronomia começa em agosto. As inscrições são feitas no http://portal.estacio.br.

Quebrando Barreiras – Promovido pelo Instituto Masan, o projeto capacita auxiliares de cozinha, copeiros e lactaristas gratuitamente. Para se cadastrar, basta entrar em contato, através do Instagram @institutomasan ou do Facebook Instituto Masan. Assim que completar 50 inscritos, as aulas terão início.

Senai – Até o fim do ano, haverá, em diversas unidades, cursos de Confeitaria fFna, Fabricação de Bolos e Doces, Fabricação de Massas Frescas, Fabricação de Pães, Fabricação de Pães Rústicos, Fabricação de Salgadinhos, Técnicas de Fabricação de Doces Finos, Auxiliar de Cozinha, Confeiteiro, Padeiro e Pizzaiolo. Pré-requisitos, preços e durações podem ser vistos em www.cursosenai rio.com.br ou 0800 0231 231.

Senac – O Senac já tem cursos previstos até o fim do ano: Bases de Confeitaria, Preparo de Pães Tradicionais, Confeiteiro, Culinária Japonesa: Sushi e Sashimi, Doces Para Festas, Salgados Para Festas, Fabricação de Massas, Cake Design: Pasta Americana e Pastilhagem, Bartender, Bases de Confeitaria, Cozinheiro, Padeiro, Workshop de Cupcakes e Preparo de Churrasco. Mais informações: 4002-2002 ou acesse www.rj.senac.br.

Unisuam – Além da graduação em Gastronomia, a instituição de ensino está oferecendo três outros cursos livres interessantes: Gastronomia Hospitalar (R$ 2.300), Gastronomia Vegana (R$ 3 mil) e uma masterclass com Diego Lozano (R$ 2 mil), considerado um dos maiores chefs confeiteiros do país. Os valores podem ser parcelados em até 12 vezes no cartão de crédito. Veja mais em www.unisuam.edu.br

Univeritas – O Centro Universitário, que fica no Flamengo, tem um curso superior em Gastronomia. Para mais informações, ligue para 4020-9734 ou acesse www.univeritas.com.

Fonte: Pequenas Empresas Grandes Negócios

 

Related Posts

Deixe um comentário

*