Aluguel barato onda de compartilhamentos chega aos carros


A plataforma, líder no mercado, quer ser o AirBnB dos automóveis. PegCar chega a Belo Horizonte com planos ambiciosos.

Quando o assunto é aluguel de carros, o Brasil tem predomínio absoluto das locadoras tradicionais. Espalhadas por todo o país, elas possuem lojas em lugares estratégicos, como rodoviárias e aeroportos, e atraem os olhares da maioria, principalmente dos turistas. O processo de aluguel já é conhecido: o cliente pode fazer a reserva pela internet e apenas finaliza as burocracias finais na loja física. Porém, uma plataforma inovadora está se consolidando no mercado.

O aluguel pelo PegCar é 30% mais barato que o praticado pelas locadoras tradicionais.

Lançada em outubro de 2015, o Pegcar é um sistema on-line de compartilhamento de automóveis, já operando na cidade de São Paulo e em mais 26 municípios daquele estado. Voltado para o aluguel de carros diretamente entre as pessoas, conectando proprietários de carros pouco usados e condutores interessados no aluguel, o site chega a Belo Horizonte oferecendo um serviço de locação mais prática e econômica. Todo o processo de aluguel, inclusive o cadastro dos veículos, é on-line e se dá por meio do site http://www.pegcar.com/. Nele, qualquer pessoa pode se cadastrar e se beneficiar dos serviços. Basta preencher os dados pessoais e do carro, enviar fotos dele e da CNH, além de informações sobre o período de disponibilidade. Outras informações adicionais são que o carro deve ter no máximo 10 anos de uso e não mais que 100 mil quilômetros rodados.

A ideia de criar a plataforma virtual partiu dos administradores Bruno Hacad e Conrado Ramires, dois jovens empreendedores de 26 anos. Eles ressaltam não só a praticidade do processo, mas especialmente o fato de que, para o locatário, ele torna o aluguel cerca de 30% mais barato que o praticado pelas locadoras tradicionais. Para o locador, torna a oportunidade de alívio no orçamento, com a entrada de dinheiro extra.

Um dos idealizadores do projeto, Ramires comenta sobre a expectativa da aceitação dos mineiros pelo serviço. Ele destaca que o importante é identificar as necessidades que cada lugar apresenta e, a partir daí, promover as adequações que atendam ao perfil projetado. “Cada cidade tem suas peculiaridades e é importante identificá-las para adequar o serviço da melhor maneira possível. Mas temos uma experiência muito positiva no estado de São Paulo, onde registramos um crescimento médio mensal de usuários do serviço de 25% em 2016. Toda essa experiência será replicada em BH, em busca de um forte crescimento da plataforma”, afirma.

A esperança de sucesso passa também pelo momento econômico que o país atravessa, com a crise atingindo parcela significativa da população, o que, segundo Bruno Hacad, fez crescer a prática da economia compartilhada, capaz não só de gerar renda extra, mas que leva em conta ainda o caráter socioambiental. “Em 2016, o Pegcar comercializou mais de 3 mil diárias a um tíquete médio de R$ 90. Os proprietários de carros mais engajados faturam cerca de R$1.500 por mês, podendo pagar despesas do dia a dia e também os gastos do próprio carro, como IPVA e financiamento”, detalha.

Fonte: bigideia, PegCar.

 

Related Posts

Deixe um comentário

*